segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Aceitação

É que o Tempo passa, só isso...
Nada mais...

Não é a falta d'água, ou de luz,
ou de razão...
Não é a incerteza do trabalho,
ou do domingo ensolarado
completamente encharcado pela chuva que enganou a máquina...
Nem mesmo é o chão molhado pelo telhado falho,
nem o gato no coqueiro,
nem o filme ruim que parecia bom,
nem o filme bom que assisto toda vez que passa...

É que o Tempo passa...

Essa birra que eu já sei que é inútil,
essa briga na qual só eu bato
e apanho...

Deve ser uma espécie de adolescência filosófica,
uma revolta contra o pai, o chefe, o professor, a autoridade...
Sei que Ele passa porque não sabe fazer outra coisa,
ou talvez seja pago pra isso,
ou talvez tenha se acostumado...
No fundo, não importa.

Quando o Tempo era jovem, contra quem se revoltou?

Já aprendi que Você passa...
Tá certo...

Resolvi abrir os olhos,
assumir que tô à bordo,
e curtir a viagem...

De repente, o segredo tá na paisagem...

De repente, encontro o que procuro pela estrada,
e aceno...

De repente, eu aceno de volta...

(Rodrigo Sestrem)

Nenhum comentário: