segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Passos Curiosos

Vida, te vi vindo
como quem passeia
numa rua cheia
de gente e barulho
Eu era Orgulho
sem saber que era
Eu era Espera
de algo já passado
sonhando acordado
que estava dormindo...

O galo cantava
a mesma canção
que escrevi, a mão
numa noite fria
Eu raiei o dia
meus olhos abertos
multidões, desertos
bem na minha frente
Mesmo o sol mais quente
não me esquentava.

Vida, eu te abracei
com tanta vontade
tamanha verdade
tanta mansidão
que sai do chão
pulando em teu braço
e sem embaraço
sem qualquer pudor
todo o meu Amor
eu te declarei!

Vamos de mãos dadas,
Vida, minha Vida,
curando a ferida
de meus pés teimosos
Passos curiosos
podem correr riscos
Mas nem mil coriscos
hão de me assustar
se você aceitar
dividir estradas...

(Rodrigo Sestrem)

Nenhum comentário: