terça-feira, 3 de janeiro de 2017

Uma Unidade

Veja bem, tudo morre, tudo passa!
Gente, bicho, estrela, até cultura!
Água teimosa vence pedra dura
Caçador, não te iludas, tu és caça!
A pedra que joguei, sei que não passa
do mais alto que pode ir, e cai
Futuro, quando chega, já se vai
Era só uma memória lá da frente...
Mesmo andando pra trás, segues em frente
nessa linha da qual o Tempo é pai.

O sistema ruindo faz barulho
Faz escândalo, birra, sapateia
Feito criança suja de areia
fugindo da água fria e do mergulho.
Gente se assusta mais com o pedregulho
que ainda pode cair lá do espaço...
Veja bem, o motivo do cagaço
tá mais perto do que a gente pensa:
é o ódio mortal da diferença
A ilusão de que somos só pedaço.

Somos humanidade, uma unidade
Somos parte, sim, mas de um só todo
A tal separação é um engodo
Mentira disfarçada de verdade.
A cegueira maior é a má-vontade
é o medo do escuro que há no novo!
Pra romper a parede desse ovo
é preciso coragem pra se olhar
Não dá mais pra tentar se enganar
Então, abro meus olhos e me movo...

Veja bem, tudo passa, e mesmo assim
A gente continua no caminho
Sei que em algum lugar há um moinho
Onde o Quixote vai olhar pra mim...
E dizer: "não tenha medo do fim
pois é pré-requisito pro começo!"
Esse mundo que eu amo tá do avesso!
Mas desvira daqui até o final...
Basta amar o Amor Incondicional
pra curar as feridas do tropeço.

(Rodrigo Sestrem)

Nenhum comentário: