segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Chegou a Vez (Música)

Chegou a vez desse céu
Desse céu que é só seu
Que é só meu
Que é de todos
Que um dia olharam pra um céu
Tão azul, tão anil,
Que sumiu
Que ficou tão escuro
E vazio...

Chegou a vez desse mar
Desse mar, maravilha
Da ilha
Que bóia tranqüila
Não sabe que tem a seus pés todo um resto
De vida e de morte
Sem dor
Sem razão...

Chegou a vez desse chão
Desse chão, chama Deus
Que só Deus
Para nos ajudar a pisar
Sem esse medo de ter
Nossos dedos
Comidos por chãos
Canibais...

Chegou a vez da canção
Da canção
Pra cansar
Pra caçar, pra causar uma revolução
Uma revelação da criança que
Chora escondida
Por trás dos
Jornais

Chegou a vez, minha vez
Nossa vez, nossa voz!
Pra quem vê
Tanto fez, tanto faz!
Faz tanto tempo que o tempo não pára
Pra ver a vergonha
Estampada
No olhar

(Rodrigo Sestrem - poesia musicada por Maviael Melo)

3 comentários:

Cíntia disse...

Chegou a vez do que antes não tinha vez mas que agora só de vez ocupa todo o lugar e o olhar daqueles que se ainda se espantam com as manobras que a vida da.
Eita vida que ao tentar ser entendida complica ainda mais! Hehe!
E viva a paixão que torna tudo sofrimento e paz!

Mariana Paiva disse...

quando você posta essas coisas aqui, lembro daqueles intervalos de aula, a gente sentados lendo Fernando Pessoa. Ou tocando violão embaixo do pé de manga. :)

saudaaaaaaaaade!

beijo

Soluz disse...

.'.

Irmão,

Sempre escuto ela... Ainda tenho aquele CD que gravei e fiz a capa em sua casa e que depois você e Mavi autografaram para mim.

Abraço!

'.'