quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Mal-me-Quer (Renato Luciano de Paula) (Música)

Salve!

Resolvi aproveitar este espaço pra homenagear alguns amigos poetas também.
O primeiro vai ser meu grande irmão lá das Gerais, Renato Luciano de Paula, o velho Nimeiro!
Este verso dele é uma das coisas mais lindas do mundo, uma das músicas mais lindas do mundo!

Abração, Nimeiro!

Mal-me-quer (Renato Luciano de Paula)

Chegou a hora de brincar
de mal-me-quer
Só vale dizer a verdade,
a verdade e nada mais

Da nossa valsa da calçada,
o sapato desgastou.
Da nossa alma de varanda,
o teto desmoronou.

Tua alma de vingança
minha cara de senhor.
Brota o sorriso sem graça
some a voz do cantador...

Mas se for pra dizer a verdade,
dos dois, quem sente mais saudade...

Sou eu.

2 comentários:

Mamá disse...

Que liiiindoooo!!!Tem um ar de carinho triste nas palavras que carrega uma beleza muito, muito gostosa de ler. Quero ouvir a música!

E ó menino Rodrigo:

"Mas se for pra dizer a verdade,
dos dois, quem sente mais saudade...

Sou eu."

E muita viu?Muita,muita,muita...

Beijos.

renato disse...

O menino e o guarda chuva

O mundo deste tamanho e graças a Deus eu consegui encontrar um Rodrigo. A minha vontade, agora, é de gritar bem alto:"GENTE É TUDO VERDADE!ESSE É DE VERDADE! ESSAS COISAS QUE ELE ESCREVE É PORQUE ELE É ASSIM, MESMO".O Baiano é a poesia. Uma poesia de dois metros que leio, sempre, e amo tanto por me fazer crer que vale apena fazer arte.