segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

Menestreando

Acorda, Moleque!
Pára de babar o travesseiro!
O dia já chegou, já foi, voltou, foi de novo,
e você aí?
Vinte e sete anos sonhando, Moleque!
Chega!
Acorda!
Seu ronco já encheu!
Seu olho já não vê!
Abre logo esse olho!
Tu é um cego de mentira,
uma ilusão que sonha!
Acorda, Maluco!
A vida já tá quase na metade, 
e você aí
Levanta, Babaca!
O tempo não se perdeu contigo.
Passou, gritou teu nome,  e nada!
Desperta, Poeta, depressa!
A poesia que te ninou
agora é a tua vitamina
Rima sim, mas pra frente!
Sonha sim, mas acordado!


Bom dia


(Rodrigo Sestrem)

2 comentários:

Cíntia disse...

Acorda poeta?
Você ja acordou! Acorda todos os dias e aceita a condição de aprendiz da vida! É isso que vale...mas junto com isso vem a dor do aprendizado e da mudança.
Meu querido amigo...é ai que você nasce de novo poeta mais que poeta, em versos diversos a cada dia!
Acorda poeta..o dia nasceu e você pode fazer muito por ele!
Que bom poder ler estes versos de sua vida! Obrigada!

Maick Barreto disse...

Sim, sonhar acordado.
Estou sonhando, Viajando no tempo imaginário. Os mosquitos já se foram e o banheiro está limpo, mesmo assim sigo o coselho do poeta: Estou na varanda.

Obrigado Poeta,
Obrigado Amigo.