quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Mensageiro (Música)

Eu vim pra contar
que a fartura passou por aqui
só que ela resolveu não ficar
que caminho tomou, eu não vi
e as pegadas que eu tentei seguir
o Sol seco tratou de apagar...

Eu vim pra contar
que essa terra tão seca no chão
é meu berço, é meu mote, é meu lar
é de onde brota a inspiração
pra rimar as linhas da minha mão
com as linhas que o Sol faz rachar...

Eu vim pra contar
que uma flor vermelha já brotou
pede água, mas água não há
E a cor dela ainda não desbotou
e, garanto, não vai desbotar!
pois a flor aceitou seu lugar
e sua cor foi o Sol quem pintou...

Eu vim pra contar
que boatos começam a correr
sobre águas que podem chegar
sobre gelos que vão derreter
sobretudo, a respeito do mar
que o sertão pode até afundar,
e o que Sol vai ficar para ver...

Eu vim pra contar
que a viola que teima em sofrer
e esse pife soprado no ar
e a rabeca arranhada a gemer
são as vozes de quem, ao nascer,
viu o Sol e aprendeu a sonhar...

Eu vim pra contar
que o sertão ainda ousa sorrir
e viver, apesar de secar,
e que, mesmo sem ter pra onde ir,
o seu povo escolhe seguir
com o brilho do Sol no olhar...

Eu vim pra contar
que esse povo que troca o sertão
sonho vão da vida melhorar
na cidade já sem coração
ainda sonha com o dia de voltar
pra no fim dessa vida chorar
tendo o ombro do Sol como irmão...

Eu vim pra contar
e a mensagem completa contei
resta agora à minha casa voltar
lá nas terras que um dia deixei
tanto tempo que eu nem sei lembrar
do caminho, e me deixo guiar
pelo mesmo Sol que sempre amei...


(Rodrigo Sestrem - Poesia musicada por Pedro Araújo)

Um comentário:

Bella Flor disse...

Salve!!
Lembro desta!^^
Linda poesia!Aliás qual não é bonita?!?!

Uma grande beijo Digo...
Saudades....